es    en    it    fr   
 

f

x

 
Fiberotomy

Fiberotomy

Breve introdução
Havia muito para contar, mas em traços largos, podemos descreve-la da seguinte forma: Técnica cirurgica que se realiza em regra geral, mas não sempre, sob anestesia geral com uns escalpelos especialmente desenhados para tal fim denominado (microfibrilotomo). Basicamente consiste na eliminação de forma transcutânea das contracturas musculares que impedem ou dificultam o correcto funcionamento ou apropriado ângulo de uma articulação. Além disso persegue-se a eliminação da síndrome da dor miofascial. Ao não se realizar nenhuma secção completa ou transposição de músculos, nem incidir sobre estruturas ósseas ou tecidos tendinosos não requer imobilização nem gesso posterior contribuindo para que o doente regresse as suas actividades em pouco tempo.

Tem um carácter universal porque independentemente da causa principal, permite tratar à vez diferentes patologias. Oferece uma alta funcionalidade ao poder intervir à vez diversos músculos ou grupos de músculos tendo em conta o seu sinergismo e antagonismo aumentando assim o efeito da intervenção. Permitem um avanço considerável de outros tipos de terapias ao facilitar a mobilidade activa ou passiva do paciente.

Indicações
Está indicado em doentes com contracturas musculares ou síndrome da dor miofascial. Esta patologia manifesta-se muito em doentes que sofrem de espasticidede, paralisia cerebral, Hemiplegia, paraplégia displegia, hemiparesia, acidentados com trauma, fibromialgia, fascitis plantar,...

Tipo de cirurgia
Pode-se considerar como microcirurgia com um nivel mínimo de traumatismo visto a ausência de cortes na pele, cicatrizes e hemorragias.